Manutenção Baseada no Tempo: O que é e como implementar?

manutenção baseada no tempo

Compartilhar artigo:

WhatsApp
Facebook
X
LinkedIn
Getting your Trinity Audio player ready...

Para garantir a confiabilidade, segurança e eficiência operacional dos equipamentos algumas empresas adotam a manutenção baseada no tempo como uma abordagem proativa. O intuito é evitar que os equipamentos tenham falhas não programadas e interrompam o processo produtivo. 

Mas será que essa é a melhor maneira de aumentar a disponibilidade dos equipamentos e reduzir os custos com falhas inesperadas?

Para saber se a manutenção baseada em tempo é uma boa estratégia e se vale a pena usar esse modelo de manutenção, confira o conteúdo de hoje!

O que é Manutenção Baseada no Tempo?

A Manutenção Baseada no Tempo ou TBM (do inglês Time Based Maintenance), também conhecida como manutenção periódica, é o tipo de manutenção em que as atividades ocorrem em intervalos fixos de tempo, independentemente da condição do equipamento.

Portanto, as ações são realizadas de acordo com uma programação de calendário e para isso, é elaborado um plano de manutenção para cada equipamento. Assim, sempre que atingir o tempo de horas trabalhadas, a manutenção é realizada.

Esses intervalos de manutenção baseada no tempo são definidos para garantir que os componentes dos equipamentos sejam verificados ou substituídos antes que ocorram falhas graves. O objetivo é evitar paradas não programadas e manutenções corretivas mais custosas, melhorar a disponibilidade de ativos, reduzir o risco de falhas e acidentes.

Embora a manutenção periódica TBM possa parecer uma estratégia eficaz, ela pode encarecer os custos de manutenção, pois nem todos os componentes de um equipamento precisam ser trocados quando atingem determinado tempo de uso.

Por exemplo, trocar o óleo do mancal a cada 600 horas trabalhadas, em oposição às 800 horas recomendadas pelo fabricante, pode levar a menos problemas, mas tem um custo. Embora o risco de falha seja menor, e isso pareça uma vantagem, o dinheiro e tempo empregados realizando a troca de óleo com mais frequência do que o recomendado podem ser um desperdício.

Exemplos de manutenção baseada no tempo

Alguns exemplos de manutenção periódica e baseada no tempo incluem:

  • Limpar detritos de uma calha a cada 6 meses;
  • Inspecionar visualmente extintores de incêndio todos os meses;
  • Trocar filtro de ar a cada trimestre;
  • Lubrificar bombas a cada 6 semanas;
Machinery being serviced on a scheduled time basis

Comparação da manutenção periódica baseada em tempo com outros tipos de manutenção.

Como a Manutenção Periódica e Baseada no Tempo tem o objetivo de prevenir falhas, ela é frequentemente confundida com outras estratégias de manutenção.

Confira abaixo as principais diferenças da TBM e de outras estratégias de manutenção que também consideram o tempo como parâmetro para a ação.

Diferenças entre manutenção preventiva e baseada no tempo?

A diferença entre manutenção baseada em tempo (periódica) e manutenção preventiva está principalmente relacionada ao momento em que as atividades de manutenção são realizadas e à abordagem utilizada para evitar falhas nos equipamentos. 

Já vimos que a manutenção baseada no tempo envolve a realização de atividades de manutenção em intervalos fixos, independentemente do estado do equipamento. As inspeções e manutenções são agendadas com base no tempo decorrido desde a última intervenção ou com base em estimativas de vida útil dos componentes.

Ao contrário da manutenção baseada no tempo, a manutenção preventiva pode ser baseada não apenas no tempo, mas também em outros critérios, como ciclos de operação, condições ambientais ou utilização específica do equipamento.

Diferenças entre manutenção baseada em horas e baseada no tempo?

A manutenção baseada em horas é um tipo específico de manutenção preventiva que se baseia no número de horas de operação de um equipamento (tempo de uso) para programar atividades de manutenção. Essa abordagem é utilizada especialmente em equipamentos onde o desgaste é mais fortemente correlacionado com o tempo de operação.

Já a Manutenção temporal envolve a realização de atividades de manutenção em intervalos fixos, independentemente do tempo de uso do equipamento.

Diferenças entre manutenção baseada em condições e baseada no tempo?

A manutenção baseada na condição (CBM – Condition-Based Maintenance) é uma abordagem de manutenção que se baseia na condição atual e específica do equipamento para determinar a necessidade de intervenção. 

Essa metodologia utiliza dados obtidos por meio de inspeções regulares ou monitoramento contínuo, como análises de vibração, temperatura, pressão, e outras variáveis operacionais, para identificar sinais de desgaste ou falha iminente. 

Ao contrário da manutenção baseada no tempo que é programada para intervalos de tempo fixos, a manutenção baseada na condição realiza intervenções somente quando os dados indicam que a condição do equipamento está se deteriorando além dos limites aceitáveis, permitindo uma utilização mais eficiente dos recursos e potencialmente reduzindo o tempo de inatividade não planejado.

Diferenças entre manutenção Preditiva e baseada no tempo?

A principal diferença entre a manutenção preditiva e a manutenção baseada no tempo reside na abordagem de monitoramento e na tomada de decisão sobre quando realizar a manutenção. 

A manutenção preditiva foca na condição real do equipamento, utilizando dados reais, indicadores de manutenção e análise preditiva para determinar o momento ideal para intervenção. Enquanto a manutenção baseada no tempo é uma abordagem mais simples e previsível, a manutenção preditiva é mais sofisticada, exigindo investimentos em tecnologia e análise de dados, mas oferece uma maior precisão e eficiência na gestão da manutenção, reduzindo o tempo de inatividade não planejado e os custos associados a falhas inesperadas.

Em resumo, quando comparada a outros tipos de manutenção, a manutenção calendarizada pode resultar em substituições ou reparos desnecessários.

Então a manutenção que usa intervalos fixos é ruim? Claro que não! em certos contextos ela tem suas vantagens.

como elaborar um plano de manutenção

Vantagens da Manutenção Baseada no Tempo.

Apesar de parecer menos sofisticada em comparação com outras metodologias de manutenção, a manutenção programada no tempo possui algumas vantagens que a tornam uma escolha adequada para certas aplicações específicas.

  1. Simplicidade e Facilidade de Implementação:
    • Processos Simplificados: A manutenção baseada no tempo é simples de planejar e implementar. Requer apenas a definição de intervalos de tempo regulares para a realização das atividades de manutenção.
    • Treinamento Mínimo: Os técnicos de manutenção podem ser facilmente treinados para seguir cronogramas pré-estabelecidos, sem a necessidade de conhecimentos avançados em monitoramento e análise de dados.
  2. Previsibilidade e Planejamento:
    • Cronograma Fixo: Com intervalos de manutenção definidos, é fácil planejar e agendar as atividades de manutenção com antecedência, o que ajuda a garantir a disponibilidade de recursos e minimizar o impacto nas operações.
    • Gestão de Recursos: Facilita a gestão de estoques de peças sobressalentes e a alocação de mão de obra, já que as necessidades de manutenção são conhecidas com antecedência.
  3. Custos de Implementação Baixos:
    • Investimento Inicial: Não requer investimentos significativos em tecnologias avançadas de monitoramento e análise, tornando-se uma opção mais acessível para empresas com recursos financeiros limitados.
    • Equipamentos Simples: Adequada para equipamentos menos complexos e de baixo custo, onde o risco de falha não justifica a implementação de métodos de manutenção mais caros e sofisticados.
  4. Adequação para Equipamentos Não Críticos:
    • Menor Impacto: Ideal para equipamentos cuja falha não resultaria em interrupções significativas ou riscos de segurança. Para esses ativos, a simplicidade da manutenção agendada pode ser mais eficiente e econômica.
    • Ciclos de Vida Conhecidos: Equipamentos com ciclos de vida bem estabelecidos e previsíveis podem se beneficiar de um cronograma fixo de manutenção.
  5. Compliance e Regulamentação:
    • Normas e Padrões: Em algumas indústrias, regulamentações específicas podem exigir a manutenção regular com base em intervalos de tempo. Seguir uma estratégia baseada no tempo pode garantir conformidade com essas normas.
    • Relatórios e Auditorias: Facilita a criação de relatórios e a realização de auditorias, já que os registros de manutenção são simples e padronizados.
  6. Redução de Paradas Não Planejadas:
    • Prevenção de Falhas: Apesar de não ser tão eficiente quanto a manutenção preditiva, a manutenção baseada no tempo ainda ajuda a prevenir falhas inesperadas, garantindo uma operação mais contínua e estável.

A manutenção temporizada pode ser particularmente vantajosa em cenários onde a simplicidade, previsibilidade e baixos custos de implementação são prioridades. Por isso, a manutenção com intervalos fixos continua sendo uma estratégia válida e eficaz para muitos tipos de equipamentos e contextos industriais.

Contudo, também é importante estar atento às desvantagens que ela pode trazer para a gestão da manutenção.

desvantagens da manutencao de rotina baseada somente em tempo

Desvantagens da Manutenção Baseada no Tempo

Embora a manutenção baseada no tempo tenha suas vantagens, especialmente em termos de simplicidade e previsibilidade, ela também apresenta desvantagens, particularmente quando comparada a outras metodologias de manutenção mais avançadas e eficientes.

  1. Manutenção Excessiva ou Insuficiente:
    • Excessiva: Realizar manutenção rotineira em intervalos fixos pode levar à manutenção excessiva, onde atividades de manutenção são realizadas desnecessariamente em equipamentos que ainda estão em boas condições. Isso pode resultar em custos adicionais e desperdício de recursos.
    • Insuficiente: Por outro lado, a manutenção de rotina baseada no tempo pode ser insuficiente se os intervalos de manutenção não forem adequados para a real condição do equipamento, resultando em falhas inesperadas.
  2. Ineficiência em Termos de Recursos:
    • Desperdício de Recursos: A manutenção excessiva consome mais peças sobressalentes, materiais de manutenção e mão de obra do que o necessário, aumentando os custos operacionais.
    • Alocação de Mão de Obra: Técnicos de manutenção podem ser alocados para tarefas que não são necessárias no momento, deixando menos recursos disponíveis para outras atividades mais críticas.
  3. Falta de Flexibilidade:
    • Intervalos Fixos: A rigidez dos intervalos fixos não permite ajustes baseados na condição real do equipamento ou em mudanças nas condições operacionais, o que pode resultar alocação de recursos de manutenção abaixo do ideal.
    • Adaptabilidade: Menor capacidade de adaptação a variações no uso ou na demanda dos equipamentos, o que pode ser crítico em ambientes de produção dinâmicos.
  4. Não Identifica Problemas Emergentes:
    • Falhas Inesperadas: A manutenção baseada no tempo não utiliza dados de monitoramento contínuo para identificar sinais precoces de problemas, o que pode levar a falhas inesperadas e tempos de inatividade não planejados.
    • Diagnóstico Limitado: Falta de uma abordagem proativa para diagnosticar e resolver problemas emergentes antes que se tornem falhas maiores.
  5. Custos Potenciais com Paradas Não Planejadas:
    • Interrupções de Produção: Embora possa reduzir a frequência de falhas inesperadas, ainda há um risco significativo de paradas não planejadas se os intervalos de manutenção não forem adequados para as condições reais de operação do equipamento.
    • Impacto Financeiro: Paradas inesperadas podem ter um impacto financeiro significativo, especialmente em indústrias onde o tempo de inatividade resulta em perdas substanciais de produção e receita.
  6. Menor Eficiência Operacional:
    • Menor Vida Útil dos Equipamentos: A falta de uma abordagem baseada na condição pode resultar em uma vida útil reduzida dos equipamentos, pois intervenções de manutenção não são realizadas no momento mais eficaz.
    • Desgaste Inadequado: Equipamentos podem continuar operando em condições abaixo do ideal até o próximo intervalo de manutenção programado, aumentando o risco de danos e desgaste prematuro.
  7. Compliance e Sustentabilidade:
    • Impacto Ambiental: Adotar uma política de manutenção excessiva pode resultar em maior geração de resíduos e consumo de recursos, o que pode ter um impacto negativo no meio ambiente.
    • Regulamentação: Em algumas indústrias, a falta de monitoramento contínuo e procedimentos de manutenção preventiva calendarizada pode não estar em conformidade com regulamentações que exigem práticas de gestão de manutenção mais avançadas.

Repare que apesar de mostrarmos algumas vantagens em termos de simplicidade e previsibilidade, às atividades de manutenção que se baseiam apenas em tempo e revisões programadas apresenta várias desvantagens significativas.

Em muitos casos, metodologias mais avançadas, como a manutenção preditiva e a baseada na condição, oferecem uma abordagem mais eficiente e eficaz para a gestão da manutenção, especialmente para equipamentos críticos e de alto custo.

Principais aplicações da Manutenção Baseada no Tempo.

A ajudar a compreender na prática a manutenção baseada no tempo, vamos apresentar algumas situações, certos tipos de equipamentos e contextos industriais nos quais esse tipo de manutenção pode ser uma alternativa. 

Mas atenção, são exemplos teóricos. Não é possível afirmar sua aplicabilidade sem compreender a criticidade dos equipamentos nos processos. 

  1. Equipamentos de Baixo Custo e Menos Críticos:
    • Exemplos: Equipamentos de baixo custo, como ventiladores industriais, pequenos motores elétricos, bombas de água não críticas, e sistemas de iluminação.
    • Justificativa: Para esses equipamentos, a simplicidade e o baixo custo de implementação da manutenção baseada no tempo são vantajosos, pois as falhas não resultariam em impactos significativos.
  2. Ambientes com Regulatórios e Normas Estritas:
    • Exemplos: Indústrias farmacêuticas, alimentícias e outras altamente regulamentadas.
    • Justificativa: Certos setores exigem frequência de manutenção regular e documentada para cumprir normas e garantir a segurança e a qualidade do produto. O planejamento de manutenção baseada no tempo oferece um cronograma claro e previsível que facilita a conformidade.
  3. Equipamentos com Ciclos de Vida Previsíveis:
    • Exemplos: Equipamentos que têm uma taxa de desgaste previsível e consistente, como correias transportadoras, correntes, e sistemas de filtragem.
    • Justificativa: Para equipamentos com ciclos de vida bem conhecidos, intervalos fixos de ciclos de manutenção podem ser uma maneira eficaz de prevenir falhas antes que ocorram.
  4. Sistemas Simples com Pouca Variedade Operacional:
    • Exemplos: Sistemas HVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado) em edifícios comerciais.
    • Justificativa: Esses sistemas geralmente operam sob condições constantes, tornando a manutenção baseada no tempo uma estratégia prática e eficaz.
  5. Programas de Manutenção Pré-Existentes:
    • Exemplos: Empresas que já possuem cronograma de manutenção estabelecidos e têm recursos limitados para investir em novas tecnologias.
    • Justificativa: A manutenção cronológica (baseada no tempo) pode ser uma continuidade natural de um programa de manutenção já estabelecido, minimizando a necessidade de mudanças drásticas nos processos existentes.
  6. Infraestrutura de Serviços Públicos:
    • Exemplos: Manutenção de redes de distribuição de água, eletricidade, e gás.
    • Justificativa: A previsibilidade e a regularidade da manutenção baseada no tempo ajudam a garantir a continuidade do serviço sem interrupções inesperadas.

Apesar de a manutenção baseada no tempo ser mais adequada para equipamentos menos críticos, com ciclos de vida previsíveis e onde a simplicidade de implementação e os custos baixos são prioridades; você deve avaliar bem antes de considerá-la na manutenção dos seus equipamentos. 

A escolha de utilizar a manutenção baseada no tempo deve considerar o equilíbrio entre os benefícios de simplicidade e previsibilidade contra as desvantagens de potencial manutenção excessiva ou insuficiente.

Para finalizar

A manutenção baseada no tempo, embora simples e fácil de implementar, é um tipo de manutenção para contextos específicos. Essa abordagem é particularmente vantajosa para equipamentos de baixo custo e menos críticos, com padrões de desgaste previsíveis e ciclos de vida bem estabelecidos.

No entanto, quando comparada com metodologias mais avançadas, como a manutenção preditiva e a manutenção baseada na condição, a manutenção baseada no tempo pode resultar em ineficiências devido à manutenção excessiva ou insuficiente.

Apesar disso, sua simplicidade e custo de implementação relativamente baixo tornam-na uma escolha prática em setores altamente regulamentados e em ambientes onde a gestão de recursos e a facilidade de treinamento são prioridades.

Em suma, a manutenção baseada no tempo oferece uma solução viável e eficaz para certas indústrias, mas deve ser cuidadosamente considerada em relação às necessidades específicas e à criticidade dos equipamentos envolvidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags