logo-home-nova-2

Depreciação de máquinas e equipamentos: como calcular e o que fazer para reduzir?

depreciação de máquinas e equipamentos
Getting your Trinity Audio player ready...

Se você trabalha na área de manutenção industrial, sabe bem que os equipamentos e as ferramentas também envelhecem. Além disso, eles sofrem desgaste com o tempo de uso ou se tornam obsoletos quando chega uma tecnologia nova. Esse fato provoca o que chamamos de depreciação de máquinas e equipamentos.

E ela traz consequências diretas para a sua empresa, uma vez que perda de valor desses ativos imobilizados é uma DESPESA.

Afinal, à medida que os equipamentos envelhecem, perdem eficiência e a confiabilidade diminui. 

Muitos gestores entendem que esse é um problema inevitável. Será?

Como calcular essa depreciação? Quanto tempo, em média, uma máquina dura antes de ser substituída? E o mais importante: como reduzir o desgaste em seus ativos para diminuir os custos e ainda gerar lucro para a sua empresa?

Neste artigo, vamos responder a todas essas perguntas e fornecer informações valiosas para que você possa aumentar a vida útil de seus equipamentos e, assim, reduzir os efeitos negativos da depreciação. Acompanhe!

O que é depreciação de máquinas e equipamentos?

A depreciação de máquinas e equipamentos é o desgaste dos bens utilizados na indústria devido a ação do tempo, além de sua obsolescência causada pelo surgimento de novas tecnologias. 

Em outras palavras, a depreciação pode acontecer devido a:

  • Desgastes como corrosão, atrito e abrasão entre peças, e desgastes pelas horas de uso;
  • Entrada de outro equipamento mais eficiente e produtivo no mercado.  

Seja qual for o motivo, o fator tempo faz com que os ativos de uma empresa percam o valor com o passar dos anos. Por isso, o cálculo de depreciação de máquinas e equipamentos é muito importante para saber qual o verdadeiro valor dos bens de sua empresa.

Qual a taxa de depreciação de máquinas e equipamentos?

A taxa anual de depreciação é a porcentagem do valor original do equipamento que será depreciado a cada ano. 

As taxas de depreciação podem variar de acordo com o tipo de equipamento, sua vida útil, o método de depreciação utilizado e outras variáveis.

A Receita Federal brasileira estabeleceu algumas taxas de depreciação para fins tributários. Algumas dessas taxas são:

  • Máquinas e equipamentos em geral: 10% a.a.;
  • Móveis e utensílios em geral: 10% a.a.;
  • Veículos em geral: 20% a.a.;
  • Computadores e periféricos: 20% a.a.;
  • Ferramentas: 15% a.a.

É importante ressaltar que essas taxas de depreciação são apenas para fins tributários e não necessariamente refletem a realidade de cada empresa ou de um equipamento em particular. 

É fundamental que cada empresa faça uma avaliação cuidadosa de seus próprios ativos e determine a taxa de depreciação de máquinas e equipamentos mais apropriada para cada um deles.

Qual o tempo de depreciação de uma máquina?

O tempo de depreciação é a vida útil estimada de um equipamento, ou seja, o período de tempo durante o qual ele deve ser depreciado até atingir seu valor residual

Nota: Valor residual é o valor que o ativo tem quando ele é vendido como sucata ao fim do seu tempo  de vida.

O tempo de depreciação pode variar de acordo com o tipo de equipamento, sua qualidade, o uso ao qual é submetido e principalmente pelo tipo de manutenção que a empresa utiliza, além de outros fatores.

Assim como no caso da taxa de depreciação, os valores do tempo de depreciação de ativos podem ser tomados por base nos dados da  Receita Federal. 

Alguns desses prazos são:

  • Máquinas e equipamentos em geral: 10 anos;
  • Móveis e utensílios em geral: 10 anos;
  • Veículos em geral: 5 anos;
  • Computadores e periféricos: 5 anos;
  • Ferramentas: 6 anos.

Esses valores são sugeridos mas, são bons pontos de partida para quem vai começar ou contabilizar os custos. Contudo, a realidade dos ativos de cada empresa pode ser um pouco diferente disso. Por isso, cada indústria deve fazer um estudo próprio em suas máquinas e equipamentos, melhor ainda se tiver um setor de gestão de ativos.

Veja nosso artigo O que é gestão de ativos industriais? e saiba mais sobre o assunto.

cálculo de depreciação de equipamentos

Como calcular depreciação de máquinas e equipamentos?

Uma das principais questões quando se trata de depreciação de máquinas e equipamentos é como calcular a taxa de depreciação anual. Essa taxa é a porcentagem do valor total do equipamento que será depreciado a cada ano. 

Por exemplo, se uma máquina de R$ 100.000,00 tem uma taxa de depreciação anual de 20%, então R$ 20.000,00 serão depreciados a cada ano.

Existem dois métodos principais para calcular a depreciação: Depreciação Linear e Depreciação por Soma de Dígitos.

Depreciação linear

O método de depreciação linear é o mais simples, e envolve a divisão do valor original do equipamento pela sua vida útil em anos. Por exemplo, se uma máquina custou R$ 100.000,00 e tem uma vida útil de 5 anos, então a depreciação anual seria R$ 20.000,00.

Depreciação por soma de dígitos

Já o método de depreciação por soma de dígitos é um pouco diferente, mas pode ser mais preciso em determinadas situações.

Inclusive é  recomendado para o cálculo de depreciação de máquinas e equipamentos.

Nesse método, a vida útil do equipamento é somada, e a depreciação é calculada a partir da soma dos dígitos. 

Por exemplo, para uma máquina com uma vida útil de 5 anos, a soma dos dígitos s 1+2+3+4+5 = 15. 

No primeiro ano, a depreciação seria 5/15 do valor original, no segundo ano seria 4/15, e assim por diante.

Qual o melhor método para o cálculo de depreciação de máquinas e equipamentos?

A vantagem da depreciação linear é a simplicidade do cálculo e a facilidade de prever a depreciação futura. 

Por outro lado, a depreciação por soma de dígitos é uma opção mais precisa, pois leva em consideração a realidade do desgaste do equipamento. 

A escolha do método dependerá da situação específica de cada empresa e do equipamento em questão.

Como diminuir a depreciação de máquinas e equipamentos?

Com um bom plano de manutenção. Ele é um grande aliado na redução da depreciação de máquinas e equipamentos. 

Quando o equipamento recebe as técnicas de manutenções adequadas, sua vida útil é prolongada.

Isso reduz a necessidade de substituição prematura dos componentes e consequentemente, sua depreciação.

Como a manutenção preditiva reduz a depreciação?

Uma boa estratégia de manutenção deve incluir a manutenção preditiva, que consiste em monitorar o desempenho do equipamento em tempo real para identificar possíveis falhas antes que elas ocorram. 

Isso permite que as intervenções sejam realizadas de forma programada e preventiva, evitando a necessidade de paradas não programadas e reduzindo os custos com manutenção corretiva.

Por exemplo, um plano de manutenção preditiva pode incluir o uso de sensores para monitorar a temperatura do motor de uma máquina. Se a temperatura estiver acima do normal, isso pode indicar sobrecarga no equipamento e consequente desgaste excessivo de suas peças. 

Manutenção centrada na confiabilidade e diminuição da depreciação.

Outra estratégia de manutenção muito eficaz é a manutenção centrada em confiabilidade (MCC). Esta abordagem se concentra na identificação dos modos de falha mais críticos para cada equipamento e no desenvolvimento de ações específicas para mitigar ou evitar essas falhas. 

A MCC permite que os recursos de manutenção sejam alocados de forma mais eficiente e que o tempo de vida útil dos equipamentos seja maximizado.

Por exemplo, um plano de MCC pode identificar que a lubrificação inadequada é o modo de falha mais crítico para um determinado equipamento. 

Com base nessa informação, o planejamento e controle de manutenção pode incluir inspeções regulares do sistema de lubrificação e ações específicas para garantir que ele esteja sempre funcionando adequadamente.

Diminua a depreciação de máquinas com as soluções da Abecom.

A depreciação de máquinas e equipamentos é um assunto importante que requer atenção e planejamento cuidadoso por parte dos profissionais responsáveis pela manutenção e compra desses ativos. 

Saber como calcular a depreciação e entender a taxa e o tempo de vida útil desses equipamentos é fundamental para tomar decisões estratégicas que reduzam os custos e maximizem o retorno sobre o investimento.

Além disso, a implementação de um plano de manutenção bem elaborado pode ser um grande diferencial na redução da depreciação

Com as estratégias certas de manutenção, a vida útil dos equipamentos é prolongada. 

Por isso é importante que a equipe de manutenção haja de maneira preventiva e proativa para reduzir o custo com depreciação de máquinas e equipamentos.

A Abecom tem diversas soluções para os problemas de manutenção de sua empresa, que vão desde componentes e ferramentas de alta qualidade até serviços de contrato em manutenção. Saiba agora de que forma podemos ajudar a diminuir a depreciação de ativos em sua empresa e entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags