logo-home-nova-1.webp

Retentor: Guia completo para seu projeto ou manutenção de máquinas.

construção do retentor

Se você é um engenheiro, projetista ou mecânico de manutenção industrial, certamente já ouviu falar sobre o retentor. Esse componente é fundamental para garantir o bom funcionamento das máquinas e evitar falhas e vazamentos que podem comprometer a produção.

Neste artigo, vamos apresentar um guia completo sobre retentores, abordaremos desde a definição do componente até os tipos mais utilizados e  suas principais aplicações. 

Ao final da leitura, esperamos que você esteja apto para escolher o retentor mais adequado para sua aplicação. Da mesma forma, conhecerá as melhores práticas de manutenção preventiva para reduzir custos e aumentar a eficiência da máquina. 

Utilizaremos como base o catálogo de retentores Sabó. Uma das principais empresas na fabricação desses componentes.

O que é um retentor?

Retentor é o componente mecânico responsável por evitar a passagem de líquidos ou gases em equipamentos e máquinas industriais. 

Ele é instalado em locais específicos, como eixos, hastes ou rolamentos, e possui uma superfície de contato com o componente em que é aplicado, chamada de lábio.

estrutura de um retentor
Estrutura básica dos retentores

Saiba que a escolha correta do retentor é fundamental para garantir que ele desempenhe sua função de forma eficiente, evitar vazamentos e prolongar a vida útil dos componentes da máquina.

Muitas vezes o retentor é chamado de anel raspador ou simplesmente anel retentor.

Gaxeta ou Retentor?

Como possuem funções parecidas há uma certa confusão na hora de especificar esses componentes.

Mas não se preocupe, vamos explicar de uma maneira que você não vai errar.

Via de regra as gaxetas servem para vedar sistemas auxiliares e são fabricadas com apenas um tipo de material (borracha, poliuretano, PTFE). Por outro lado, os retentores são mais utilizados para vedar sistemas rotativos e sistemas de transmissão mecânica. 

O retentor normalmente é fabricado com dois materiais diferentes, um composto mais rígido para dar resistência (inserto metálico, por exemplo) que fica no alojamento e outro maleável que fica em contato com o eixo sem lhe causar danos (borracha ou poliuretano).

Por que usar retentores?

Os retentores possuem duas funções principais: evitar vazamentos de fluídos e gases e impedir que impurezas entrem no sistema. Assim, protegem os componentes da máquina e garantem o bom funcionamento.

porque usar retentores

Quando ocorre um vazamento de lubrificante, por exemplo, a depender do processo, pode ocorrer a contaminação do produto final.

Isso certamente irá causar prejuízos financeiros, além de colocar em risco a segurança do ambiente de trabalho. 

Além disso, a presença de um fluido em contato com componentes pode levar ao desgaste prematuro, corrosão e até mesmo falha estrutural, comprometendo a durabilidade da máquina.

Outro motivo importante para usar um retentor é a proteção contra a entrada de partículas estranhas na máquina, como poeira, sujeira e outros contaminantes.

Elas prejudicam o funcionamento dos componentes e reduzem a eficiência da máquina. Isso é especialmente importante em ambientes industriais, onde a presença de contaminantes é um fator crítico para a operação.

Agora que você já sabe porque usar um retentor, vamos ver alguns dos principais tipos que existem no mercado. Depois, apresentaremos os principais retentores Sabó.

Principais tipos de retentor.

Existem vários tipos de retentores no mercado, cada um com características específicas para atender diferentes necessidades. Por isso, pode ser que você conheça esse componente como anel raspador ou anel retentor.

De retentores automotivos até retentores industriais, os tipos mais comuns, são:

  • Retentor de lábio: É o tipo mais comum, composto por um anel metálico e um lábio de borracha ou outro material de vedação. Alguns modelos podem conter uma mola para reforçar a vedação principal (mais à frente apresentaremos esse modelo com maiores detalhes). É utilizado em diversas aplicações, como em bombas hidráulicas, motores, caixas de câmbio, entre outros.
  • Retentor tipo V-ring: Possui um formato de anel em “V”, com uma superfície de contato maior, o que proporciona uma vedação mais eficiente. É utilizado em aplicações em que a pressão é elevada e em ambientes com alta presença de sujeira.
  • Retentor de fole: É composto por uma série de anéis em formato de fole, que se movem para compensar a dilatação térmica e outras variações na máquina. É utilizado em aplicações em que a movimentação é intensa, como em motores de aeronaves.
  • Retentores O-ring: são retentores de anel que possuem um formato circular em seção transversal, com uma seção transversal em forma de “O”. São comumente utilizados em aplicações de baixa pressão e com fluidos não agressivos.
  • Retentores labirintos: são compostos por uma série de canais ou sulcos que são posicionados de tal forma que impedem a passagem do fluido. São ideais para aplicações em que há a necessidade de proteção contra poeira e outros contaminantes.
  • Retentores ovais: possuem um formato ovalado em seção transversal, o que permite uma boa vedação em eixos rotativos. São comumente utilizados em aplicações automotivas e industriais.
  • Retentores articulados: possuem uma estrutura articulada que permite a adaptação a movimentos angulares e radiais do eixo. São ideais para aplicações em que há a necessidade de uma vedação estática em condições dinâmicas.
  • Retentores de metal-polímero: são compostos por uma camada de metal e uma camada de polímero, o que garante uma boa resistência mecânica e química. São ideais para aplicações em que há a necessidade de uma vedação em condições extremas de temperatura e pressão.

Além desses tipos básicos, existem ainda retentores específicos para algumas aplicações, como os retentores automotivos:

  • Retentor de válvula: é responsável por vedar a passagem de óleo do cabeçote do motor para o eixo da válvula.
  • Retentor do virabrequim: é utilizado para vedar a passagem de óleo do virabrequim para o volante do motor.
  • Retentor do volante: tem a função de vedar a passagem de óleo do volante do motor para o câmbio.

Lembre-se, cada tipo de retentor deve ser escolhido de acordo com a aplicação específica, levando em consideração fatores como temperatura, pressão e tipo de fluido em contato com o componente.

Retentores Sabó

A Sabó é uma das principais fabricantes de vedações e possui uma linha completa com vários modelos.

RETENTOR-SABO-TIPO-BRRETENTOR-SABO-TIPO-BRGRETENTOR-SABO-TIPO-BRAG
BR – Vedação principal com mola. Recoberto externamente com borracha.BRG – Vedação principal com mola. Proteção contra poeira. Recoberto externamente com borracha.BRAG – Vedação principal com mola. Proteção contra poeira. Diâmetro externo: metade borracha e metade metal. Aplicados em motores e transmissões.
RETENTOR-SABO-TIPO-BRETENTOR-SABO-TIPO-BAGRETENTOR-SABO-TIPO-BA
B – Vedação principal com mola. Diâmetro externo de metal com tampa. Geralmente aplicados onde o rolamento joga óleo diretamente na vedação principal.BAG – Vedação principal com mola. Proteção contra poeira. Diâmetro externo metálico com as mesmas características do BA.BA – Vedação principal com mola. Diâmetro externo de metal. Geralmente utiliza-se no diâmetro externo para auxiliar a vedação.
RETENTOR-SABO-TIPO-BGRETENTOR-SABO-TIPO-GRRETENTOR-SABO-TIPO-GA
BG – Vedação principal com mola. Proteção contra poeira. Diâmetro externo de metal com tampa e as mesmas características do B.GR – Vedação principal sem mola. Diâmetro externo recoberto com borracha. Utilizado na maioria das vezes para vedação de graxa.GA – Vedação principal sem mola. Diâmetro externo de metal. Aplicado, na maioria das vezes, para vedação de graxa.

O Significado de Cada Letra no retentor Sabó é:

  • B – Retentores com vedação principal com mola.
  • B Sozinho ou associado ao G – Retentor com tampa.
  • R – Retentores recoberto com borracha.
  • A – Retentores com metal aparente no externo.
  • G Como 1.ª letra – Retentores com vedação principal sem mola.
  • G Após 2.ª letra – Retentores com guarda-pó.
  • Y  -Retentores com pista própria.
  • X – Retentores com vedação principal no externo.
  • O – Retentores com duas molas para aplicações especiais.
  • E – Retentores fabricado para aplicações com ou sem características especiais.
  • M – Retentor tipo tampão.

Onde usar o retentor?

Bom, você já entendeu até agora que os retentores são peças fundamentais para o funcionamento adequado de máquinas e equipamentos em diferentes setores industriais. 

No que diz respeito às máquinas e equipamentos, eles são usados principalmente em montagens com rolamentos e mancais, motores, redutores, bombas, compressores, entre outros.

Por exemplo, em equipamentos de mineração, os retentores são essenciais para proteger os sistemas de rolamentos e mancais contra a entrada de poeira, água e outros contaminantes, que podem prejudicar o desempenho do equipamento e aumentar os custos de manutenção

Nos sistemas de transmissão, como caixas de câmbio e diferenciais, os retentores também são utilizados para evitar vazamentos de óleo lubrificante.

Em motores elétricos, os retentores são usados para manter o óleo do motor e evitar a entrada de contaminantes. 

Já em redutores, eles são utilizados para proteger a lubrificação interna e prevenir vazamentos. 

Em bombas, os retentores são utilizados para manter a pressão interna e evitar vazamentos de fluidos. 

Nos compressores, os retentores são usados para evitar a entrada de contaminantes e garantir o bom funcionamento dos componentes internos.

Além disso, o uso de retentores é essencial em aplicações que envolvem altas temperaturas, vibrações ou corrosão. 

Cuidados e manutenção de um retentor.

Como o retentor é um componente importante para o bom funcionamento de diversos equipamentos industriais, a manutenção deles deve ser levada a sério.

A lubrificação adequada é um dos pontos-chave para garantir a vida útil do retentor, pois ajuda a evitar o desgaste precoce e a quebra do material.

A limpeza também é um cuidado importante. O recomendável é utilizar solventes suaves ou um pano úmido, tomando cuidado para não danificar a superfície dos lábios

Além disso, é importante fazer uma análise da vida útil do retentor, verificando se o componente ainda está em boas condições de uso e se não há desgastes ou rachaduras que possam comprometer seu desempenho.

Outro ponto importante é a troca periódica dos retentores, que pode variar de acordo com o tipo de equipamento e o tempo de uso. É recomendável que essa troca seja feita na manutenção preventiva, ou seja, antes que o componente apresente falhas. 

Dessa maneira, isso ajuda a reduzir os custos com manutenção corretiva e a aumentar a vida útil dos equipamentos.

Em resumo, a manutenção correta dos retentores é essencial para garantir o bom funcionamento dos equipamentos e máquinas industriais. Os cuidados com lubrificação, limpeza e troca periódica são fundamentais para evitar falhas e reduzir custos com manutenção corretiva

A análise da vida útil do retentor também é importante para garantir que o componente ainda esteja em boas condições de uso. 

Lembre-se sempre de contar com profissionais especializados para a manutenção de retentores e seguir as orientações do fabricante para garantir a efetividade dos cuidados com esse importante componente industrial.

Inspeção de retentores

A inspeção regular dos retentores é essencial para garantir a operação segura e confiável dos equipamentos. Essa tarefa envolve a avaliação das condições dos retentores e a identificação de possíveis problemas que possam levar a falhas. 

Veja algumas dicas sobre como fazer e o que considerar na inspeção do retentor:

  1. Verifique a aparência do retentor: comece pela inspeção visual para verificar a aparência do retentor. Procure por sinais de rachaduras, cortes, inchaços, deformações ou outros danos que possam afetar a vedação. Certifique-se também de que o retentor esteja limpo e livre de resíduos e detritos.
  2. Verifique a pressão do lábio: para os retentores de lábio, verifique se a pressão do lábio está correta. Uma pressão de vedação adequada garante um contato firme do lábio com o eixo e evita vazamentos. Pressione o lábio com cuidado com o dedo e verifique se ele retorna à sua posição original (memória elástica).
  3. Verifique o desgaste: o desgaste excessivo é um sinal de que o retentor precisa ser substituído. Meça a espessura do retentor ou do lábio com um paquímetro e compare com as especificações do fabricante. Se o desgaste estiver além do limite máximo, o retentor precisa ser substituído.
  4. Verifique a vedação: faça um teste de vedação para verificar se o retentor está vedando corretamente. Para isso, aplique um pouco de óleo ou água sobre o retentor e verifique se há vazamentos. Se o retentor não estiver vedando adequadamente, ele precisa ser substituído ou reparado.
  5. Verifique a vida útil: os retentores têm uma vida útil limitada e devem ser substituídos regularmente para evitar falhas. Consulte as especificações do fabricante para determinar a vida útil do retentor e faça a substituição conforme recomendado.

Em resumo, a inspeção regular dos retentores é fundamental para garantir o bom funcionamento dos equipamentos. Ao seguir essas dicas, você pode identificar possíveis problemas precocemente e evitar falhas dispendiosas. Lembre-se também de seguir as recomendações do fabricante em relação à manutenção e substituição dos retentores.

E aí, gostou do conteúdo de hoje? Faltou algo que você gostaria de saber? Deixe nos comentários abaixo para que nossa equipe técnica possa responder para você.

Quer ficar por dentro das melhores informações sobre manutenção industrial? Acompanhe nosso blog e siga nossas redes sociais. Diariamente publicamos conteúdos interessantes e várias dicas para manter seus equipamentos produzindo sem paradas inesperadas.

Conte com a ABECOM para ter mais eficiência e produtividade em seus processos!

2 respostas

  1. Esta afirmação está incorreta ” Retentor de válvula: é responsável por vedar a passagem de óleo do cabeçote do motor para o eixo da válvula” Correta é impedir a passagem do óleo do cabeçote para dentro dos cilindros, pois caso aconteça isso o motor irá queimar óleo, principalmente na primeira partida e nas desacelerações no momento das trocas de marchas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags