logo-home-nova-2

Plano de manutenção preventiva: o que deve ter? Como elaborar?

plano de manutenção preventiva
Getting your Trinity Audio player ready...

O setor industrial tem como característica depender de máquinas e equipamentos para realizar suas atividades. Logo, se ocorrer uma falha ou parada não planejada, os prejuízos são significativos. É nesse sentido que o plano de manutenção preventiva vai contribuir, nas ações de manutenção proativa.

Saiba que ao adotar esse plano de manutenção, as empresas conseguem evitar paradas não programadas e custos elevados de reparo

Ele vai contribuir para minimizar fatores que impactam negativamente na eficiência operacional dos equipamentos como, falhas ou quebras.

Assim, um plano de manutenção preventiva bem estruturado permite identificar e solucionar problemas antes que se tornem problemas maiores.

Ele contribui para um fluxo contínuo de trabalho, economiza recursos financeiros, aumenta a vida útil e eficiência dos equipamentos.

A seguir, exploraremos os elementos essenciais que compõem um plano de manutenção preventiva eficaz, assim como as etapas para sua elaboração. Boa leitura!

O que é um plano de manutenção preventiva?

Plano de manutenção preventiva é o conjunto de ações e atividades periódicas que visam garantir que os equipamentos operem sem falhas ou interrupções inesperadas. Ou seja, manter a eficiência global e lucratividade das operações.

Por isso, o plano consiste em atividades, como inspeções, revisões, limpezas e substituições de componentes, com o objetivo de evitar falhas e maximizar a vida útil dos ativos.

Benefícios da implementação de um plano de manutenção preventiva.

Além de reduzir as paradas não planejadas, preservando a produtividade e a lucratividade, o plano de manutenção preventiva traz benefícios como:

  • Aumenta a vida útil dos equipamentos: minimizando o desgaste e o envelhecimento prematuro, resultando em maior eficiência e economia a longo prazo.
  • reduz os custos de reparo: ao antecipar-se a problemas e planejar as intervenções, a empresa consegue escolher o melhor momento de parar o equipamento. Além disso, as compras dos componentes de reposição não ocorrem em caráter emergencial que sempre trazem custos extras.
  • contribui para a segurança do trabalho: identificando riscos e implementando medidas corretivas.

Elementos de um plano de manutenção preventiva:

O plano de manutenção preventiva precisa ter alguns itens básicos para ser construído. Os elementos fundamentais para a elaboração do plano de manutenção preventiva são:

Inventário de equipamentos

Um inventário completo e atualizado dos equipamentos é o primeiro passo para um plano de manutenção preventiva eficaz. 

A gestão da manutenção deve listar todos os ativos, suas especificações técnicas e informações relevantes, como data de aquisição e histórico de manutenção de equipamentos.

Esse inventário auxilia na identificação das necessidades individuais de cada equipamento, permitindo uma abordagem personalizada em relação à manutenção.

Programação de manutenção de equipamentos

Essa programação define a frequência e os intervalos para a realização das atividades preventivas. Com base nas recomendações do fabricante e nas condições operacionais, determinam-se os momentos ideais para inspeções, revisões, lubrificações e outras intervenções necessárias.

A programação e o planejamento garantem a regularidade das atividades e ajudam a evitar atrasos ou negligência na manutenção.

Uma das principais metodologias para identificar as prioridades nas ações da manutenção é a Curva PF. Seu gráfico vai indicar se há uma curva potencial de uma falha na máquina ou se já é hora de trocar algum componente (falha funcional).

Procedimentos de manutenção

Neste item, ficam estabelecidos os passos detalhados para a execução de cada tarefa preventiva. Eles devem incluir instruções claras sobre como realizar inspeções, testes, limpezas, ajustes e substituições de componentes, por exemplo.

Os POPs (procedimentos operacionais) garantem consistência na execução das atividades e ajudam a padronizar as práticas de manutenção dos equipamentos em toda a empresa.

Registros de manutenção

Manter registros detalhados de todas as atividades de manutenção é essencial para monitorar o desempenho dos equipamentos e obter dados históricos das intervenções.

Os registros de manutenção devem documentar as datas, as tarefas realizadas, os resultados obtidos e quaisquer observações relevantes. 

Essa documentação fornece informações valiosas para avaliar a eficácia do plano, identificar padrões e tomar decisões embasadas.

Atualmente existem sistemas informatizados específicos para gestão de manutenção.

como elaborar um plano de manutenção

Como elaborar um plano de manutenção preventiva?

Para elaborar um plano de manutenção preventiva, siga estas etapas:

  1. Levantamento de informações

O primeiro passo para elaborar um plano de manutenção preventiva é realizar um levantamento abrangente e preciso das informações necessárias.

Comece revisando o inventário de equipamentos, identificando todos os ativos relevantes e suas características técnicas. Analise o histórico de manutenção para compreender as falhas recorrentes e as necessidades específicas de cada equipamento.

Além disso, consulte as recomendações do fabricante, que podem incluir cronogramas de manutenção recomendados, especificações de lubrificação e ajustes periódicos. Considere também fatores ambientais e de operação, como temperatura, umidade e carga de trabalho.

Aqui cabe uma recomendação muito importante, o plano de manutenção será melhor elaborado se a empresa adotar a manutenção preditiva para corroborar as informações dos fabricantes.

Com ela a empresa vai de fato saber o comportamento e ter melhor visibilidade da vida útil dos componentes.

Por fim, entreviste a equipe de manutenção e os operadores dos equipamentos para obter insights valiosos sobre os desafios enfrentados e as observações práticas sobre o desempenho dos equipamentos.

  1. Criação do checklist de manutenção de equipamentos

Após o levantamento de informações, o próximo passo é criar um checklist de manutenção abrangente e detalhado. 

O checklist deve conter uma lista de todas as tarefas necessárias para cada equipamento, incluindo inspeções, limpezas, lubrificações, ajustes e substituições de componentes.

Organize as tarefas de acordo com sua frequência, priorizando as atividades mais críticas e sensíveis ao desgaste. Aqui a recomendação é criar a matriz de criticidade A B C para cada equipamento.

Certifique-se de incluir instruções claras e específicas para cada tarefa, garantindo que a equipe de manutenção tenha um guia preciso sobre o que deve ser feito.

O checklist de manutenção servirá como um roteiro prático para a execução das atividades preventivas, ajudando a evitar o esquecimento de tarefas importantes e garantindo que todas as etapas sejam cumpridas adequadamente.

  1. Verificação dos custos

Após a criação do checklist de manutenção, é fundamental realizar uma verificação detalhada dos custos envolvidos na implementação do plano. Isso inclui avaliar os recursos necessários, como mão de obra, materiais, ferramentas e peças de reposição.

Analise o orçamento disponível e verifique se os recursos são suficientes para cobrir todas as atividades de manutenção preventiva. Priorize as tarefas essenciais e identifique possíveis áreas de otimização de custos.

Considere também o custo-benefício das atividades de manutenção. Avalie se o investimento na prevenção de falhas e prolongamento da vida útil dos equipamentos compensa em relação aos custos de reparo e paralisações não planejadas.

É neste ponto que o gestor da manutenção consegue tangibilizar se determinada marca de um componente realmente entrega benefício pelo preço pago.

É muito comum ver empresas decidirem as compras pelo fornecedor com menor preço de mercado. No entanto, se os custos de manutenção sobem, a economia não existe e acaba saindo mais caro.

A verificação dos custos permite um planejamento financeiro adequado e garante que o plano de manutenção preventiva seja viável e sustentável a longo prazo.

  1. Definição de um cronograma

Uma vez que o checklist de manutenção está pronto e os custos foram verificados, é hora de definir um cronograma para a execução das atividades de manutenção preventiva.

Considere a frequência recomendada para cada tarefa, levando em conta: as especificações do fabricante, as condições de operação e as necessidades específicas de cada equipamento.

Distribua as atividades ao longo do ano, considerando a sazonalidade, a disponibilidade da equipe de manutenção e os períodos de menor demanda operacional.

Organize o cronograma de forma clara e comunicativa, garantindo que todos os envolvidos tenham conhecimento das datas e prazos estabelecidos.

organização de um cronograma de manutenção

Um cronograma bem definido e realista proporciona uma visão clara das atividades de manutenção preventiva ao longo do tempo, permitindo um planejamento eficiente e evitando atrasos ou interrupções não planejadas.

  1. Acompanhamento de cada atividade

Durante a implementação do plano de manutenção preventiva, é essencial realizar um monitoramento cuidadoso de cada atividade. Acompanhe de perto o progresso da execução das tarefas, verificando se são realizadas conforme o planejado.

Registre todas as informações relevantes, como datas de execução, resultados das inspeções e eventuais problemas identificados. Mantenha um sistema de registros organizado para facilitar a análise posterior e a identificação de padrões ou tendências.

Além disso, promova a comunicação aberta e constante com a equipe de manutenção. Certifique-se de que eles tenham as informações necessárias, estejam cientes das prioridades e tenham suporte adequado para realizar as atividades de maneira eficaz.

O monitoramento contínuo das atividades do plano de manutenção preventiva é fundamental para garantir que as tarefas sejam executadas adequadamente, identificar possíveis melhorias e assegurar que os equipamentos sejam mantidos em condições ideais de funcionamento.

  1. Estruture os KPIs de produtividade

Ao elaborar um plano de manutenção preventiva, é importante definir indicadores-chave de desempenho (KPIs) relacionados à manutenção. Esses KPIs permitem monitorar o sucesso e a eficiência do plano. Alguns exemplos de KPIs relevantes para a manutenção incluem:

  • Tempo médio entre falhas (MTBF): mede o intervalo médio de tempo entre as falhas de um equipamento;
  • Tempo médio para reparo (MTTR): quantifica o tempo necessário para consertar um equipamento, indicando a eficiência da manutenção em restabelecer a operacionalidade;
  • Disponibilidade dos equipamentos: mede o tempo em que os equipamentos estão disponíveis para operação em relação ao tempo total;
  • Confiabilidade do ativo: avalia a capacidade dos ativos em desempenhar suas funções sem falhas ou interrupções;
  • Cumprimento do cronograma: avalia o grau de adesão às datas e prazos estabelecidos no cronograma de manutenção de equipamentos;
  • Custos de manutenção: monitora os gastos financeiros associados às atividades de manutenção preventiva;
  • Cumprimento dos planos de manutenção preventiva (MP): verifica a efetiva execução das atividades planejadas no plano de manutenção preventiva.

Ao estabelecer metas específicas para cada um desses KPIs e acompanhá-los regularmente, é possível avaliar o desempenho do plano de manutenção preventiva e identificar áreas que requerem melhorias.

A estruturação dos KPIs de produtividade permite uma análise objetiva e embasada, contribuindo para aprimorar continuamente as práticas de manutenção.

Invista no plano de manutenção preventiva e garanta a eficiência de sua empresa.

Em suma, um plano de manutenção preventiva é essencial para empresas do setor industrial que dependem de equipamentos e máquinas para suas operações diárias.

Ao implementar um plano sólido, com elementos como o inventário de equipamentos, programação de manutenção, procedimentos e registros adequados, é possível aumentar a vida útil e eficiência dos ativos, evitando paralisações inesperadas e custos de reparo.

Através do passo a passo apresentado para a elaboração e implementação do plano, você estará no caminho certo para alcançar uma gestão de manutenção de equipamentos eficaz.

Sua empresa já implementou o plano mas não consegue ter bons resultados? Então é hora de contar com uma empresa especializada na gestão de ativos industriais como a ABECOM. Nossos produtos e serviços de manutenção industrial vão te auxiliar nesse processo. Entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags