Como diminuir o custo de inventário de componentes para seus equipamentos?

como reduzir o custo de inventário
Getting your Trinity Audio player ready...

A gestão eficiente do custo de inventário de componentes é um desafio constante para empresas do setor industrial. A complexidade dos equipamentos e a necessidade de garantir a prontidão operacional demandam o armazenamento de uma ampla variedade de peças e materiais.

No entanto, o alto custo associado ao estoque é um fator que impacta diretamente a rentabilidade das organizações. Nesse contexto, a manutenção preditiva emerge como uma abordagem fundamental para reduzir os custos de inventário de estoque.

Nesse artigo, vamos ver o que é o custo de estoque e como calculá-lo, o que é inventário de estoque e algumas estratégias para reduzi-lo. Acompanhe!

O que é um inventário de estoque?

O inventário de estoque é uma lista detalhada e abrangente de todos os componentes, peças e materiais mantidos em reserva por uma empresa. Ele fornece informações essenciais sobre a quantidade disponível de cada item, sua localização física no armazém e seu status de uso ou obsolescência.

O controle de estoque é fundamental para garantir a disponibilidade operacional, evitar paradas não programadas e otimizar a gestão de custos associados ao armazenamento e manutenção de componentes de MRO, resultando em uma operação mais eficiente e rentável.

Além disso, é através deste inventário que é possível fazer um cálculo do custo total de estoque.

Como se calcula o custo de inventário de estoque?

Uma das formas de calcular o custo de inventário de estoque é através da soma dos diferentes tipos de custo de estoque, que veremos a seguir.

Mas antes, entenda melhor o que é custo de estoque?

O custo de estoque é um cálculo usado por gestores como métrica administrativa que considera fatores como investimento de capital, armazenagem, depreciação, seguro, tributação, obsolescência, entre outros. 

A fórmula para o cálculo do custo de estoque é conhecida como CMV (Custo de Mercadoria Vendida).

Quais são os tipos de custos de estoque?

  • Custo de pedido: refere-se aos gastos associados ao processo de abertura dos pedidos, como taxas de transporte, comunicação e processamento;
  • Custo de manutenção e armazenamento: engloba despesas relacionadas ao espaço de armazenamento, segurança, seguros, mão de obra e manutenção do estoque;
  • Custo de produto: representa o valor de aquisição dos componentes e materiais que compõem o estoque;
  • Custo de falta de estoque: reflete o impacto financeiro decorrente da falta de disponibilidade de peças essenciais, incluindo perda de eficiência produtiva, atrasos em entregas e possíveis penalidades contratuais.
  • Custo de depreciação ou custo de risco: considera a desvalorização das peças em estoque devido a obsolescência ou a possibilidade de perdas por danos;
  • Custo de serviço: representa o valor agregado ao cliente ao ter peças disponíveis prontamente para atender suas necessidades.

Exemplo de cálculo de custo de estoque

Considere uma indústria que, durante um determinado período, teve os seguintes custos:

  • Custo de pedido: R$ 8.000
  • Custo de manutenção e armazenamento: R$ 15.000
  • Custo de produto: R$ 120.000
  • Custo de falta de estoque: R$ 25.000
  • Custo de depreciação ou custo de risco: R$ 5.000
  • Custo de serviço: R$ 10.000

Para calcular o custo de inventário de estoque, basta somar todos os valores:

Custo de inventário de estoque = R$ 8.000 + R$ 15.000 + R$ 120.000 + R$ 25.000 + R$ 5.000 + R$ 10.000 = R$ 183.000.

custo de inventário

Como reduzir o custo de inventário?

Para reduzir o custo de inventário nas empresas do setor industrial é necessário adotar algumas estratégias:

  • Inventário de estoque: realizar um inventário periódico para identificar itens obsoletos e ajustar os níveis de estoque com base na demanda atual;
  • Curva ABC: classificar os itens de estoque em categorias A, B e C com base no valor financeiro e na frequência de uso, permitindo um gerenciamento mais focado em itens críticos;
  • Previsão de demanda: utilizar dados históricos e análises preditivas para projetar a demanda futura, garantindo um estoque adequado sem excessos;
  • Just in Time (JIT): adotar o princípio “Just in Time“, recebendo e produzindo itens conforme a demanda, minimizando o estoque mantido em reserva.

Essas abordagens possibilitam uma gestão mais eficiente do inventário de componentes, resultando em redução de custos, aumento da eficiência dos equipamentos e maior competitividade no mercado industrial.

Além das abordagens acima, o uso de manutenção preditiva se mostra particularmente eficaz para reduzir os custos de inventário de estoque nas indústrias, como veremos a seguir.

Como a manutenção preditiva reduz o custo de inventário?

A manutenção preditiva é uma abordagem que utiliza tecnologias de monitoramento e análise de dados para identificar potenciais falhas em equipamentos (antes que ocorram).

Ao antecipar problemas, essa estratégia evita a necessidade de manter grandes estoques de peças de reposição, reduzindo o custo associado ao inventário de componentes e garantindo a disponibilidade oportuna dos itens essenciais para a operação industrial.

Veja a seguir algumas vantagens no uso da manutenção preditiva para reduzir o custo de estoque.

Redução da necessidade de peças de reposição 

A manutenção preditiva, que utiliza tecnologias como a análise de dados e a Internet das Coisas (IoT) para monitorar o desempenho dos equipamentos em tempo real, ajuda a identificar problemas antes que eles causem falhas.

Isso permite que as empresas corrijam esses problemas antes que eles provoquem o Downtime, reduzindo a necessidade de peças de reposição e, portanto, os custos de inventário.

Melhor planejamento de estoque

Com a manutenção preditiva, as empresas podem ter uma melhor ideia de quando as peças de reposição serão necessárias. Isso permite que elas planejem melhor seus estoques.

Em outras palavras, manter apenas as peças que são necessárias e reduzir o estoque de peças que não serão utilizadas no curto prazo.

Redução do tempo de inatividade do equipamento 

Ao evitar falhas de equipamentos, a manutenção também reduz o tempo de inatividade, levando a uma maior eficiência e produtividade. Consequentemente, isso reduz a pressão para manter um grande estoque de peças de reposição, pois há menos probabilidade de que os equipamentos parem de funcionar de repente.

Melhor utilização do capital de giro

Reduzir o estoque de peças de reposição libera capital de giro que pode ser usado em outras áreas do negócio. Isso melhora a saúde financeira da empresa e permite que ela invista em outras áreas, como a melhoria dos processos de manutenção.

Reduza seu custo de inventário de estoque com a Abecom!

A manutenção preditiva e o monitoramento contínuo demonstram-se fundamentais para evitar o crescimento desnecessário do estoque de peças de reposição em empresas do setor industrial. 

Essas práticas possibilitam identificar antecipadamente falhas em equipamentos, permitindo ações corretivas e a redução do tempo de inatividade não programado.

Além de garantir a disponibilidade adequada dos componentes essenciais, a gestão de estoque mais inteligente proporciona uma melhoria significativa na eficiência financeira e operacional da empresa.

Não perca tempo! Aumente a eficiência de sua empresa e reduza o custo de inventário com a ajuda da Abecom, líder em serviços de manutenção preditiva. Entre em contato conosco agora mesmo e descubra como podemos contribuir para o sucesso de sua operação industrial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Generic selectors
Somente correspondências exatas
Pesquisar no título
Pesquisar no conteúdo
Post Type Selectors

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags