ROLAMENTOS E SOLUÇÕES EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
MATRIZ - SP: (11) 2797-1322 | SERVICE - SP: (11) 2902-1460
ROLAMENTOS E SOLUÇÕES EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
MATRIZ - SP: (11) 2797-1322 | SERVICE - SP: (11) 2902-1460

Manutenção Centrada na Confiabilidade – RCM: o que é?

manutenção centrada na confiabilidade

A Manutenção Centrada na Confiabilidade (RCM) é uma metodologia estruturada, que visa definir a melhor estratégia de manutenção. Nesse sentido, busca manter o ativo confiável e disponível, além de otimizar a produtividade e reduzir os custos.

Sem dúvida, a metodologia RCM consegue reunir as melhores técnicas de manutenção e estabelecer um equilíbrio entre elas. Por isso, é uma ferramenta indispensável para a gestão de ativos da sua empresa.

Principalmente, porque não existe uma solução única para todos os problemas de manutenção. Visto que cada ativo tem as suas especificidades e modos de falhas diferentes.

De fato, o que se busca com a Manutenção Centrada na Confiabilidade é descobrir as razões por trás dessas falhas e as suas consequências, bem como as estratégias para preveni-las e evitá-las.

Acompanhe nosso artigo e saiba tudo sobre o assunto.

O que é a Manutenção Centrada em Confiabilidade?

A Manutenção Centrada em Confiabilidade ou metodologia RCM, consiste em um processo para determinar o que deve ser feito, de modo a garantir que um ativo físico qualquer, continue a fazer o que seus usuários querem que ele faça, no atual ambiente operacional.

Com certeza, o propósito da metodologia RCM é identificar qual a estratégia é mais eficiente para a manutenção dos equipamentos da sua empresa. Da mesma forma, busca garantir a confiabilidade, disponibilidade e segurança com o menor custo possível.

É uma metodologia indispensável para a gestão de ativos, visto que consegue manter a confiabilidade e disponibilidade de itens tidos como críticos para a produção. Assim, é possível elaborar um plano de manutenção focado na solução dos problemas encontrados.

Além disso, por confiabilidade de um equipamento deve ser entendida a probabilidade que ele esteja disponível conforme o planejamento realizado. Ou seja, estar em bom funcionamento para ser utilizado conforme as necessidades de produção da empresa.

7 perguntas da Manutenção Centrada na Confiabilidade

Para ser definida como uma Manutenção Centrada na Confiabilidade, a técnica tem de atender às exigências da norma SAEJA011. De fato, foram regulamentadas 7 perguntas que devem ser respondidas para a implementação da metodologia RCM. Veja a seguir:

1.ª – Quais são os padrões de desempenho e as funções do equipamento no contexto atual da operação?

2.ª – Como os ativos podem ter falhas ao cumprirem tais funções?

3.ª – O que pode provocar essas falhas?

4.ª – O que ocorre quando acontece cada uma das falhas?

5.ª – Quais são as possíveis consequências de cada falha?

6.ª – O que é possível fazer para detectar ou impedir a ocorrência das falhas?

7.ª – O que é possível fazer caso não haja uma medida preventiva para tais ocorrências?

Com base nas respostas destas perguntas, é possível obter uma avaliação assertiva das necessidades de manutenção dos ativos e da sua condição atual.

Qual o objetivo da Manutenção Centrada em Confiabilidade?

A Manutenção Centrada em Confiabilidade tem o foco em fazer apenas o que for preciso para manter um ativo confiável e disponível, de modo a garantir os sistemas funcionando de forma adequada.

Ou seja, é uma metodologia voltada para definir a estratégia mais eficiente de manutenção focada na confiabilidade. Sem dúvida, consegue aumentar a disponibilidade dos equipamentos e otimizar a produtividade.

Com toda a certeza, a atenção da metodologia RCM está centrada em atender as seguintes preocupações em relação aos ativos da produção da empresa:

  • Desenvolver uma análise das falhas;
  • Definir os procedimentos para uma análise crítica;
  • Estabelecer critérios de prioridade tendo por base aspectos econômicos;
  • Verificar a possibilidade de existir alguma recorrência;
  • Avaliar a probabilidade de ocorrerem erros;
  • Definir práticas eficientes e seguras para evitar o erro e garantir a vida útil do ativo.

Como surgiu a Manutenção Centrada em Confiabilidade?

Para explicar o surgimento da Manutenção Centrada em Confiabilidade, é interessante conhecer a evolução dos processos de manutenção industrial. Por isso, veja a seguir uma ilustração das principais fases históricas da evolução dos tipos de manutenção.

quadro de evolução das técnicas e tipos de manutenção

Como mostra a ilustração, a evolução das técnicas de manutenção é marcada por quatro etapas principais, compreendendo o período de 1940 a 2020.

O processo tem seu início com a manutenção corretiva e a ideia de consertar apenas quando o equipamento quebra. Sem dúvida, isso implicava em custos elevados e baixa disponibilidade dos ativos físicos.

Já na segunda geração, a partir de 1950, começa a surgir a preocupação de evitar as quebras. Inicia-se então as primeiras ações com a manutenção preventiva baseada no tempo, além de adotar o planejamento e controle da manutenção.

Como resultado ocorreu uma melhoria da disponibilidade e redução de custos. Mas, ainda persistia a baixa confiabilidade nos equipamentos.

Foi com a terceira geração, a partir de 1970, que surgiu a ideia de uma Manutenção Centrada na Confiabilidade, com o foco na manutenção preventiva baseada na condição, e uso da ferramenta de Análise dos Modos e Efeitos da Falha (FMEA). Além dos sistemas informatizados e a Análise de Falhas e Causa Raiz (RCFA).

Tudo isso serviu de base para o que hoje conhecemos como manutenção preditiva.

Sem dúvida, os resultados foram muito positivos, obtendo alta confiabilidade e disponibilidade, além de um equilíbrio dos custos.

E, a quarta geração, a partir de 2000, tem o seu foco no conceito de Manutenibilidade, realizar “menos” com “menos”, ou seja, ter menos atividades de manutenção com recursos cada vez mais otimizados. Da mesma maneira, visa a autonomia das máquinas e a manutenção de classe mundial.

De forma mais específica, a metodologia RCM surgiu com as indústrias aéreas desenvolvendo uma análise das políticas de manutenção da aviação civil. Desde o seu início, tem como princípio a “preservação da função do sistema”.

Características da Manutenção Centrada na Confiabilidade

Uma das características da Manutenção Centrada na Confiabilidade é facilitar a análise da capacidade crítica das falhas. Da mesma forma, onde se localizam as mais significativas consequências que afetam a segurança, o custo e a disponibilidade.

Como a metodologia RCM considera as melhores estratégias para a definição das manutenções industriais, é importante conhecer as suas características, distintas das demais técnicas de manutenção.

1.ª – Prevenção baseada na condição do ativo: considera o desempenho de cada máquina e equipamento;

2.ª – Manutenção preditiva, detectiva e proativa: baseada em dados, históricos de falhas e identificação de possíveis causas para assegurar a funcionalidade dos ativos;

3.ª – Análise dos modos e efeitos da falha do ativo (FMEA): faz a revisão dos componentes, mão de obra e sistemas para verificar os modos de falha e efeitos;

4.ª – Análise de falhas e causa raiz (RCFA): visa encontrar a real causa do problema, assim como a melhor ação para solucioná-lo.

Benefícios e vantagens da Manutenção Centrada em Confiabilidade

A prática da Manutenção Centrada em Confiabilidade gera inúmeros benefícios e vantagens, que podem ser resumidos nos seguintes pontos:

1.º – Maior segurança operacional com a identificação dos possíveis riscos de falhas nos equipamentos;

2.º – Otimização do desempenho operacional com a alternativa de ter as melhores práticas para manutenção, garantindo a disponibilidade e redução do tempo de reparo;

3.º – Maior eficiência da relação custo-benefício, garantindo um retorno positivo do capital investido em manutenção;

4.º – Aplicada de forma adequada, a Manutenção Centrada em Confiabilidade consegue reduzir o volume de trabalho de rotina de 40 a 70% e os trabalhos de emergência entre 10 e 30% do total de trabalhos;

5.º – Aumento da vida útil dos equipamentos já que cada componente recebe a manutenção que necessita para operar de forma assertiva;

6.º – Oferece um banco de dados de manutenção mais completo, útil tanto para a manutenção quanto para operação, inspeção e projeto. Além disso, com esses dados é possível obter as seguintes informações:

  • Conhecer as habilidades necessárias aos mecânicos de manutenção;
  • Decidir sobre a política de estoque de peças sobressalentes;
  • Manter os desenhos e manuais atualizados.

7.º – Motiva a equipe ao participar da análise e solução dos problemas de manutenção no dia a dia, aumentando o engajamento dos funcionários com a empresa.

Como se aplica na prática a Manutenção Centrada na Confiabilidade

Na prática, a aplicação da metodologia RCM visa alcançar a confiabilidade do ativo. Nesse sentido, parte de probabilidades ou chances de um equipamento funcionar como é esperado, em um tempo determinado, conforme as suas condições de uso já definidas.

Ao detectar a ocorrência de falhas, desenvolve a sua análise a partir da “curva da banheira”, que apresenta seis tipos básicos de comportamentos para as ocorrências de falhas.

Observe os gráficos a seguir, em que as curvas indicam a probabilidade de falhas em um determinado intervalo de tempo:

gráfico taxa de falha x tempo - curva da banheira

As curvas dos gráficos A e B indicam problemas mais simples, em que as taxas de erros estão associadas com a idade do componente. Por exemplo, correia dentada.

Já as curvas dos gráficos C, D, E F sinalizam para problemas de natureza mais complexa, em que as ocorrências de falhas são mais constantes, além de apresentarem baixa durabilidade dos componentes.

Como implementar a Manutenção Centrada em Confiabilidade?

Para implementar na sua empresa a Manutenção Centrada em Confiabilidade, basta seguir o passo a passo que apresentamos.

1.º –  Fazer um levantamento dos ativos físicos a serem analisados. É interessante começar com os ativos críticos e os gastos considerados anteriormente para a manutenção deles.

2.º –  Identifique quais são as funções desempenhadas pelos equipamentos escolhidos, bem como as entradas e saídas que estão relacionadas. Além disso, é importante verificar por onde opera e quais são as partes operantes.

3.º – Faça uma lista de todas as formas possíveis que a função do sistema possa apresentar falhas. É interessante considerar também a análise do percurso dos equipamentos e o seu ciclo completo de produção.

4.º – Verifique junto aos operadores e técnicos de manutenção, sobre os modos de falha visando identificar as causas do problema.

5.º – Desenvolva uma análise dos efeitos das falhas, sendo importante que estabeleça uma relação para todos. A Manutenção Centrada em Confiabilidade sugere duas perguntas para ajudar na análise das falhas, que são:

  • Esse modo de falha resulta em pausa parcial ou total das operações?
  • Esse modo de falha tem alguma implicação de segurança?

A partir das respostas, é possível desenvolver uma análise mais consistente das falhas. Inclusive, não se esqueça que os modos de falhas são apenas dos que tem probabilidade de ocorrer em condições reais de funcionamento.

6.º – Estabeleça uma tática de manutenção para cada modo de falha identificado, tendo em vista que o sistema ABC é o método mais comum. Para isso basta classificar as falhas dos equipamentos da seguinte forma:

  • A – falhas de maior impacto;
  • B – falhas com impacto moderado;
  • C – falhas que não geram muitas alterações no processo.

Desse modo, as falhas do tipo A podem ser resolvidas com a manutenção preditiva. Já as falhas do tipo B necessitam da manutenção preventiva. E as falhas do tipo C podem ser sanadas com a manutenção corretiva.

7.º – Realizar a implementação e manter um monitoramento constante com a utilização de indicadores de desempenho adequados.

Como saber se a RCM está trazendo resultados?

Para saber se a aplicação da Manutenção Centrada na Confiabilidade está produzindo os resultados esperados, é necessário manter um monitoramento constante. Além disso, é importante usar indicadores de desempenho (KPIs) para medir a eficiência da metodologia.

Dentre os principais indicadores de desempenho para mensurar dados de falhas de equipamentos temos:

  • MTBF – Mean Time Between Failures (Tempo médio entre falhas);
  • MTTR – Mean Time To Repair (Tempo médio de reparo),
  • Confiabilidade Horizontal;
  • Gráficos/relatórios que apresentam diagnósticos dos equipamentos.

Com base nos resultados obtidos com os KPIs, a gestão da manutenção industrial tem condições de avaliar a assertividade da metodologia, assim como os ajustes necessários.

Conceitos da Manutenção Centrada na Confiabilidade (RCM) na manutenção de ativos

Os conceitos da Manutenção Centrada na Confiabilidade podem se relacionar com cada uma das modalidades das manutenções de ativos utilizadas pelas empresas. Veja a seguir a ilustração dessa relação entre MCR e manutenção de ativos.

técnicas de manutenção

 

Como a ABECOM pode lhe ajudar na Manutenção Centrada na Confiabilidade?

Atualmente, as empresas querem processos otimizados com melhores resultados operacionais e alta produtividade. Além de almejarem que as manutenções dos ativos físicos gerem o menor impacto possível no sistema produtivo.

A implementação da Manutenção Centrada na Confiabilidade é a solução assertiva para a gestão de ativos atender aos objetivos estratégicos da empresa. Pois, é uma metodologia estruturada para identificar a melhor estratégia de manutenção para cada equipamento.

A ABECOM é uma empresa especializada em soluções industriais para atender as demandas dos clientes. Desse modo, fornecemos produtos de alta qualidade, integrados com serviços de preditiva que reduzem os custos através de inovação e engenharia de aplicação.

Atuamos com componentes industriais e soluções das marcas SKF, Continental, Martin, Sabó, Megadyne, entre outras. No entanto, mais do que uma distribuidora de rolamentos, somos uma multiespecialista em manutenção industrial, auxiliando para:

  • Melhorar a produtividade da sua empresa;
  • Reduzir os seus custos de manutenção;
  • Otimizar os projetos de transmissão adotados;
  • Reduzir o tempo de espera de produtos nas paradas;
  • Diminuir o inventário do cliente;
  • Maximizar a vida útil dos produtos fornecidos.

Conheça o nosso site para obter mais informações sobre as nossas soluções em contratos de manutenção e monitoramento preditivo. Aproveite para solicitar um orçamento e conversar com um de nossos especialistas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe um comentário

Artigos mais lidos

Últimas Notícias

Categorias

Tags